Rua 248, 322 - Sala 6 -  PISO G4

Meia Praia 

 Itapema - Santa Catarina

Tel: (47) 3393-6848

3514-7675 

WhatsApp: (47) 99970-5225 

January 5, 2018

November 24, 2017

Please reload

Posts Recentes

Quantos exames de ultrassom posso ou devo fazer em minha gestação?

May 4, 2017

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

LARC - Contracepção de longa duração reversível: para quem se indica e qual o melhor método?

August 29, 2017

Os métodos contraceptivos disponíveis atualmente são o resultado de mais de meio século de pesquisa e avanços na indústria farmacêutica. O contraceptivo mais utilizado em todo o mundo ( e o mais antigo) é a pílula contraceptiva, composta por dois tipos de hormônio combinados, o etinilestradiol e uma progesterona ou somente de progesterona. Além das contraceptivos orais, existem ainda outros métodos, como os injetáveis (de uso mensal ou trimestral), o patch adesivo (de uso semanal) e o anel vaginal (de uso mensal).

Todas os métodos (orais, injetáveis, adesivo e anel) têm um índice semelhante de proteção contraceptiva, desde que utilizados adequadamente. Eles dependem de uma boa adesão da paciente. Isto quer dizer que eles podem ter um índice de falha muito maior na "vida real" que nos testes laboratoriais. Ou seja, se você se esquecer de tomar a pílula por um único dia, alterar o dia do injetável, não trocar o anel ou o adesivo no dia correto, a falha do método pode ser maior. Além disso, a pílula pode sofrer alteração em sua absorção e metabolização pelo uso de alguns medicamentos e outras substâncias.

Somando-se a isto, o recente aumento na incidência de fenômenos tromboembólicos (trombose, AVC) relacionados ao uso dos contraceptivos hormonais, fez com que se estabelecessem critérios de escolha de uso.

Diante de tudo isto, os LARCs (do inglês Contraceptivo de Longa Duração Reversível) passaram a ganhar maior notoriedade. São métodos que te protegem de uma gestação indesejada por um período maior e não sofrem interações com outros medicamentos, não têm seu efeito reduzido por uso impróprio e, além de tudo, têm segurança cardiovascular infinitamente maior. 

 

 

Mas, o que isto significa na prática?

Significa que você pode optar por métodos contraceptivos de 03, 05 ou 10 anos, sem ter que se lembrar de fazer uso deles diaria, semanal, mensal ou trimestralmente. Você continua protegida, lembrando-se ou não do seu método (a proteção proporcionada pelos LARCs são, na prática, muito semelhantes ao da teoria).

Significa ter menos efeitos colaterais relacionados ao trato gastrintesintal (náuseas, dor de estômago), não ter que se submeter a uma injeção intramuscular dolorosa mensal e ter menos riscos de fenômenos de trombose e AVC.

 

 

Mas quais os LARCs disponíveis hoje?

Atualmente temos os DIUs de Cobre e Prata, o SIU (Mirena), como métodos implantados diretamente no útero e o implante Subdérmico (Implanon XT), inserido embaixo da pele do antebraço.

 

E como fica a menstruação com estes métodos?

Com os DIUs, você continua menstruando mensalmente, com o SIU (Mirena) e o implante subdérmico (Implanon XT), 70 a 85% das mulheres desenvolvem amenorréia, ou seja, ocorre uma parada na menstruação por um longo período durante o uso (e acredite, isto não causa nenhum tipo de distúrbio posterior ao seu organismo).

 

 

E se eu quiser engravidar enquanto estiver com um LARC?

Caso você opte por ter uma gestação enquanto estiver em uso de um LARC, a qualquer momento, basta procurar seu médico e fazer a retirada. O retorno à fertilidade é imediato.

 

Existem efeitos colaterais?

Sim, existem. Infelizmente todo método contraceptivo tem efeitos colaterais a curto ou a longo prazo, mas com os LARCs, os efeitos colaterais a curto prazo são facilmente manejáveis e os a longo prazo são muito menos significantes.

 

Quem pode usar os LARCs?

O implante subdérmico pode ser indicado a todas as mulheres (mesmo adolescentes), o DIU e o SIU apenas para mulheres que já iniciaram vida sexual (independente da sua idade).

Estes métodos podem ser utilizados por diabéticas, hipertensas, tabagistas, pois têm risco cardiovascular muito menor e não alteram perfil lipídico (colesterol e triglicerídeos). Eles não aumentam ou aumentam muito pouco o risco de trombose.

Mesmo sem ter filhos, você pode optar por um LARC. Se já tiver filhos e cogita a possibilidade de uma esterilização cirúrgica, você pode também optar por um dos métodos como alternativa, já que a laqueadura pode trazer uma série de alterações menstruais e hormonais posteriores, e tanto a laqueadura quanto a vasectomia têm um índice muito alto de arrependimento a longo prazo, mas são métodos irreversíveis.

 

E qual o melhor método para mim?

Através de uma conversa com seu médico, você e ele podem chegar à escolha do melhor contraceptivo, seja ele um LARC ou não.

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga